Sábado, 16 de agosto, a lua cheia apareceu escondida na sombra do sol. As imagens impactaram o físico Dulcídio Braz Jr, de São João da Boa Vista, também astrônomo no interior paulista. Ele posicionou sua Sony DSC H1, exatamente às 18h. As fotos são de tirar o fôlego. Embora fosse o último fenômeno do ano, a imprensa deu pouco destaque.

O zoom focado no horizonte leste registrou uma, duas, três, dezenas de imagens, que através da história, tem intrigado homens e mulheres. Bem devagar, a sombra foi desaparecendo para desnudar a beleza do satélite. O professor Braz dedicou o registro fotográfico à sua mãe, Dona Alda, que tem o hábito de orar, olhando para o céu.

No dia 1º de agosto, foi o sol que perdeu o brilho, portanto 16 dias antes da lua. No atual século, esse foi o primeiro eclipse total do astro rei. Outra vez, a imprensa quase não noticiou. O dia se tornou noite somente em partes da Ásia, Europa e América do Norte. O fenômeno começou pelo nordeste do Canadá e terminou em Xïna, antiga capital imperial chinesa.

Jesus Cristo falou de sinais no céu por ocasião de Seu retorno à Terra. Foi em maio de 1780 que a lua se transformou em “sangue” e o sol “negou sua luz”. As estrelas “caíram”, em novembro de 1833, época do Brasil império. Mas, hoje os sinais da breve Volta de Cristo estão muito mais evidentes!
 
Falta pouco tempo para que o mundo e o Brasil possam ver Jesus nas nuvens dos céus. “E vocês vão ouvir falar de guerras, porém, ainda não é o fim. E será pregado o evangelho do Reino por todo mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim”, completou Cristo, em São Mateus 24. Não se engane: computadores, satélites e tevês de plasma são incapazes de oferecer esperança, diante da dor, da guerra e da fome.

Falta pouco para a Igreja Adventista do Sétimo Dia impactar a América do Sul com a mensagem “Viva com Esperança”, dia 6 de setembro. Os primeiros outdoors já começam aparecer nas rodovias brasileiras e hispanas. Nas grandes cidades como Buenos Aires, Lima, Santiago, Quito, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, carros e motos trafegam com adesivos do site da Esperança. Autoridades serão visitadas e alunos da rede adventista de escolas vão para as praças dizer que “Jesus Breve Voltará”.

Fonte: Esperança