Água da Fonte


O Senhor guiará vocês para sempre. Mesmo em situações difíceis, Ele dará força e alegria; vocês serão como um jardim bem regado, como uma fonte de onde a água não pára de correr. Isaías 58:11, BV

Ao viajarmos de carro por algumas estradas do interior, vemos, aqui e ali, placas informando: “Água Potável”, ou “Água Imprópria Para Beber”.

Quando visitamos o Egito, e fizemos de carro o percurso de Alexandria ao Monte Sinai, após termos atravessado o Canal de Suez, entramos de chofre no deserto de Sur (Êx 15:22), um deserto desafiador, com montanhas áridas e planícies estéreis. Não muitos quilômetros adiante, encontramos Mara, que nos dias do Êxodo era uma fonte de águas amargas (Êx 15:23).

Na continuação da viagem, após um percurso de várias horas, chegamos ao deserto de Sim, hoje denominado Planície de El Kaa, e ali encontramos o oásis de Elim, que hoje leva o nome de Wadi Garandel. Nesse oásis, nos dias de Moisés, havia doze fontes de água potável e setenta palmeiras (Êx 15:27).

Faz pouco mais de dois anos que, ao viajarmos com familiares por um dos desertos do estado do Arizona, Estados Unidos, passamos próximo a uma vila indígena denominada Fontes Amargas. Estou mencionando esses fatos como ilustração para o tema desta meditação.

Na estrada da vida, quando temos que cruzar por desertos de sequidão espiritual, podemos encontrar dois tipos de fontes: as fontes do bem, como Elim, com suas águas restauradoras; ou as fontes do mal, como a Mara, com suas águas amargas, impróprias para matar a sede.

Ao primeiro sinal de fraqueza e dúvida, ao nos defrontarmos com as águas amargas de Mara, que são os revezes da vida, Satanás procura de todas as maneiras tomar o controle do nosso ser. Mas o Espírito Santo, que está sempre à nossa disposição para qualquer emergência, nos leva às fontes de Elim com suas águas vivificantes. Aos pés de Jesus, a sequidão espiritual é vencida, pois Ele é a Fonte das águas restauradoras que matam a sede, renovam a alegria, a esperança e a certeza da salvação.

Como ficamos aliviados quando chegamos junto da Fonte! Jesus sara as águas amargas da nossa vida e nos torna semelhantes a um jardim regado com águas vivificantes, em que desabrocham lindas e perfumadas flores. Pelo nosso testemunho, podemos nos tornar tanto um canal da água da Fonte que satisfaz a sede da nossa alma como a sede de outros, ao levar felicidade e esperança.

REFLEXÃO: “Vós, com alegria, tirareis água das fontes da salvação” (Is 12:3).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: