…E o Encontrou!


[O Senhor] tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos. Salmo 40:2

Luiz ausentou-se para longe de Deus. Envolveu-se com o espiritismo, freqüentou terreiro de umbanda, ocasião em que um “pai de santo” lhe disse que, daquele momento em diante, tudo iria bem na sua vida.

Ele era sócio de uma agência de vendas de carros, além de outras atividades comerciais. Ele me falou que nunca vendeu tantos carros como nessa época. Ganhou muito dinheiro.

Num determinado dia, ele recebeu das mãos de um adventista um convite para um curso sobre o Apocalipse, que assistiu por várias noites com a namorada. Ela não gostou. Tempos depois o namoro terminou.

A essa altura, Luiz rompeu com o espiritismo e, num determinado dia, alguém, talvez um “pai de santo”, foi à sua agência de revenda de carros e lhe disse: “Já que você não está mais conosco, eu vou tirar de você tudo o que lhe dei.” E dali em diante os negócios foram despencando. O jovem estava chegando ao “fundo do poço”.

Eram duas horas da madrugada de uma sexta-feira para sábado. Luiz saiu de um restaurante dançante com seu carro e deparou-se com alguém parado na avenida, trocando um pneu. Pensando em ajudar aquela pessoa, parou a certa distância com os faróis iluminando aquele veículo.

Em seguida, aquela pessoa veio na sua direção, pediu que ele abaixasse o vidro e, com autoridade, lhe disse que ele devia voltar para seu povo, para sua igreja, que o estava esperando; e que em sua casa seus pais estavam, naquele exato momento, na sala, orando e chorando pela sua volta.

Luiz lhe disse que ele podia continuar seu trabalho, no que ele retrucou: “Eu não tenho nenhum trabalho a fazer… Estou esperando você sair.” Luiz andou alguns metros, virou a esquina e resolveu voltar para fazer algumas perguntas àquela pessoa. Não havia ninguém mais trocando pneu, nem carro, nada! Dirigiu-se às pressas para casa e, para seu espanto, ali estavam seu pai e sua mãe, na sala, orando e chorando, esperando por ele, àquela hora da madrugada! Hoje, Luiz tem uma bela família e é membro fiel da igreja.

REFLEXÃO: “Não retenhas de mim, Senhor, as Tuas misericórdias; guardem-me sempre a Tua graça e a Tua verdade” (Sl 40:11).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: