O Sentido da Vida Cristã


Dá-Me, filho Meu, o teu coração, e os teus olhos se agradem dos Meus caminhos. Provérbios 23:26
No século 18, surgiu na França um movimento filosófico denominado Iluminismo, também conhecido como Filosofia das Luzes, com o objetivo de mostrar que o homem podia contar consigo mesmo, dispensando qualquer interferência de Deus, de Sua autoridade, desprezando os conceitos religiosos para distinguir entre o bem e o mal.

Esse movimento caracterizou-se pela descrença em Deus, pelo desprezo a qualquer autoridade e pelo predomínio total da Razão que chegou a ser elevada à categoria de “deusa” no início da Revolução Francesa.

Felizmente, o Iluminismo recuou; porém, deixou o homem moderno inseguro e cada vez mais perplexo. Ele luta, trabalha e se consome em meio à futilidade de seus esforços. Mesmo vendo crescer seu poder econômico e suas conquistas em muitas áreas do conhecimento, sente-se frustrado em sua vida individual e íntima e na alma experimenta o amargor de um vazio existencial que não consegue preencher. É uma vida que não lhe dá satisfação nem alegria.

O rabino Harold Kushner afirmou: “Nossa alma não está faminta de fama, conforto, riqueza ou poder. Essas recompensas criam quase tantos problemas quanto resolvem. Nossa alma está faminta de significado.”

Temos que aceitar o fato de que a necessidade de significado não é uma necessidade biológica como o comer e o beber. Trata-se de uma necessidade espiritual, uma profunda sede no interior que só será saciada pela presença de Deus que dará significado, sentido, valor e alegria à vida. De acordo com o Comentário Bíblico Adventista, v. 3, p. 1.146, “a segurança da aprovação de Deus promoverá a saúde física, fortalecerá a alma contra a dúvida e a excessiva aflição, que tão freqüentemente minam as forças vitais, gerando enfermidades nervosas que afligem e debilitam”. Enquanto não buscarmos em Deus o preenchimento desse interior, o coração humano permanecerá vazio e carente.

Estar em Cristo significa renovação de tudo: nova vida, nova disposição mental; transformação de nossa cultura de ansiedade e tristeza numa cultura de segurança e alegria. Segundo a Bíblia, felicidade e alegria aparecem como a cultura original dos filhos de Deus. É o estado de espírito de quem está satisfeito e feliz. É se agradar dos caminhos do Senhor.

REFLEXÃO: “O coração alegre é bom remédio para o corpo, mas a tristeza na alma acaba com a saúde do homem” (Pv 17:22, BV).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: