Vaidade


Considerei todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também o trabalho que eu, com fadigas, havia feito; e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, e nenhum proveito havia debaixo do Sol. Eclesiastes 2:11

Vaidade é a marca registrada de tudo o que é inútil, descartável e de pouca duração. É o desejo exagerado de chamar a atenção dos outros para si. Os quadros da vida real estão cheios de tais exemplos.

Em geral, pessoas vaidosas preferem chegar depois da hora em reuniões e acontecimentos sociais importantes, para que todos vejam que elas chegaram. Algumas até dão um sorriso e um acenozinho!
Podemos notar pela TV, o esforço que algumas pessoas fazem para aparecer, até em velório de gente célebre. Enquanto a câmara focaliza os familiares do extinto, há aqueles que sempre dão um jeitinho de ficar o mais próximo possível deles, para no outro dia perguntar aos amigos: “Vocês me viram lá?”

A vaidade é ridícula. Ela vai muito além de tudo isso: alcança os limites da presunção e chega às raias da futilidade. Manifesta-se em nosso comportamento quando perdemos o controle das emoções. Ela atinge o coração e assume o lugar de Deus. Quando chega a esse ponto, tudo o que se faz visa somente à fama e ao aplauso dos homens.

O rei Salomão, com a autoridade de sua sabedoria, depois de analisar todas as facetas da vida, assim se expressou: “Foi então que comecei a comparar a sabedoria e a tolice (vaidade). Quem fizer essa comparação chegará às mesmas conclusões que eu, que a sabedoria vale muito mais que a tolice (vaidade), como a luz é melhor que o escuro” (Ec 2:12, 13, BV).

A vida de um cristão autêntico não é medida pelo sucesso que ele alcançou nos negócios nem pela riqueza que consegue acumular; tão pouco pela posição de destaque que conquista na sociedade.

Todas essas coisas e outras mais podem ter o aplauso dos homens, porém, sem a aprovação de Deus, nada mais são do que tolices, coisas descartáveis e transitórias, um “correr atrás do vento”, de nenhum proveito.

Quando, em nossa vida, o Espírito de Deus nos fizer humildes diante de Deus e do semelhante, dispostos a seguir o exemplo de Cristo no sacrifício e no amor por todas as pessoas, então sim, alcançaremos a verdadeira grandeza.

REFLEXÃO: “Deus dá sabedoria, conhecimento e prazer ao homem que Lhe agrada” (Ec 2:26).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: