Igreja Adventista mobilizada para ajudar desabrigados em SC


Fotos da ADRA em Blumenau e estragos no Colégio Adventista de Itajaí : http://www.usb.org.br/ac/album/

Outras notícias da ADRA Catarinense e Sul do Brasil: http://www.usb.org.br/index.php

Informações do Escritório da Presidência da Sede Sul Americana

1. Enchentes em Santa Catarina: A Igreja está mobilizada para ajudar desabrigados em Santa Catarina, região sul do Brasil. Segundo testemunho de moradores da região, esta é a maior catástrofe que já atingiu a região, afetando não só a comunidade, mas nossos membros, igrejas e instituições. Uma das principais áreas atingidas foi o Vale do Itajaí. Segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, milhares de pessoas estão desalojadas e desabrigadas, mais de 80 já morreram, 30 estão desaparecidas e o total de pessoas afetadas ultrapassa a casa de 1 milhão e meio. Oito municípios catarinenses estão isolados: Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoá e Benedito Novo. Mais de 60 municípios tiveram decretado estado de calamidade pública pelo governador do estado. A situação de nossos membros em algumas regiões é a seguinte:

a. Itajaí: A situação das igrejas e escolas adventistas em várias regiões é complicada e as informações só chegaram na última terça-feira, devido aos desmoronamentos, à quantidade de água e aos riscos de novos desabamentos. Um dos distritos pastorais mais afetados foi o de São Vicente. Segundo o pastor Paulo Predebon, na Igreja da Cidade Nova, todas as famílias tiveram de sair de casa. Aproximadamente 300 membros estão desabrigados, o que significa pelo menos metade do número de membros de todo o distrito, formado por sete igrejas.

b. Blumenau: Nessa região, fortemente castigada, não houve mortes, mas pelo menos cinco adventistas tiveram ferimentos em virtude da enxurrada e 20 pessoas estão desabrigadas. Os adventistas foram atingidos, principalmente, nos bairros Fortaleza, Garcia e Bela Vista. A Igreja Central está interditada e foram canceladas as programações, pois houve um desmoronamento e impediu o acesso ao templo. A Igreja Adventista do Sétimo Dia tem um ponto de apoio em Blumenau, que é a residência da irmã Mariá, local para onde estão sendo encaminhadas doações. Os contatos com ela são através dos telefones (47) 3037-1814 e (47) 3037-1797. Segundo o pastor Diógenes Mariano, do distrito de Garcia, em Blumenau, pelo menos dez pessoas estão desabrigadas e foram acomodadas em um colégio provisoriamente enquanto recebem alimentos e agasalhos. Essas pessoas tiveram perda de tudo o que estava em suas casas. Mariano solicita ajuda com roupas de cama e colchões. “Tudo o que foi arrecadado com o Mutirão de Natal já foi destinado às pessoas”, explica.

c. Outros locais: Em Itapema, três famílias adventistas estão em casas de parentes e duas famílias também passam por problemas em Tijucas. Ainda não há informações de quantos membros estão flagelados em São João Batista e Canelinha e nem de Gaspar Alto, local da igreja histórica fundada em 1895. Conforme o pastor distrital, Maurício Ticona, a cidade de Guabiruba está sem água potável ainda. Em Jaraguá do Sul, duas famílias adventistas foram prejudicadas. Não há ainda desabrigados, mas com as cheias dos rios houve transbordamento e membros de Guamiranga, no interior de Guaramirim, permanecem isolados. A maior necessidade nessa região é de fraldas e leite para crianças.

A União Sul-Brasileira lançou o programa SOS Vizinho que consiste em uma grande mobilização para auxiliar os flagelados catarinenses. Todas as instituições adventistas dos três estados (Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina), o que inclui emissoras de rádio, Escolas Adventistas, igrejas adventistas e sedes administrativas, tornaram-se pontos de arrecadação de alimentos, agasalhos e roupas de cama.

Em Santa Catarina, o telefone 0800-643-3048 foi disponibilizado para os que desejarem fazer doações, bem como a conta no BESC (Agência 048, Conta Corrente – 047617-9) e o CNPJ é 76.726.884/0081-02 ou do Banco do Brasil (Agência 3425-8 e Conta Corrente 107264-1) em nome da Instituição Adventista Sul-Brasileira de Educação e Assistência Social. Além disso, estão sendo investidos recursos da parte da Associação Catarinense, União Sul Brasileira, Divisão Sul-Americana e ADRA Internacional.

As providências imediatas da Associação Catarinense foram as seguintes: locação de um caminhão baú para recolher as doações e enviar às regiões afetadas, destinação dos donativos do Mutirão de Natal para essa causa, aquisição de 10 mil fraldas, cinco mil litros de água, dois mil litros de leite, mobilização de voluntários e funcionários administrativos da Igreja Adventista como equipe de apoio.

Vamos permanecer orando e promovendo alguma forma de apoio aos moradores dessa região e a nossos membros de igrejas.

Fonte: Newsletter Escritório da Presidência


A proteção de Deus tem sido uma realidade nas catástrofes de Santa Catarina. Segundo o pastor Carlos Roberto Lima, que coordena o distrito do bairro Fortaleza, em Blumenau, nas regiões de Itoupava Central, Fortaleza e na cidade de Pomerode pelo menos 14 famílias adventistas foram diretamente afetadas pelas cheias. “Tivemos a informação de que o irmão Nelson, que atua na igreja de Fortaleza, viu a lama entrar e sair de dentro de sua casa após um desmoronamento. Um pouco antes, ele e sua família conseguiram deixar o local”, afirma Lima. Sandro Marcos de Oliveira e sua família também perderam móveis e outros utensílios da casa, por causa da lama que entrou no recinto.

Em Rio do Peixe, na cidade de Luiz Alves, o templo adventista não foi atingido, mas o problema para os membros adventistas foi a atividade profissional. A maior parte dos fiéis trabalha na cultura de bananas e, em virtude das fortes chuvas, a atividade agrícola foi comprometida, o que pode causar desemprego e queda na renda. De acordo com o pastor distrital, Paulo Predebon, em Escalvados e Morro Alto também não há desabrigados. Já na cidade de Itajaí, especialmente no bairro Cidade Nova, a hora agora é de limpeza das ruas e das casas. Pelo menos 20 famílias adventistas estão desabrigadas e perderam tudo o que tinham. A sede da igreja também foi afetada, especialmente em relação à pintura, algumas salas de departamentos e equipamentos. Na congregação adventista de Portal, pelo menos oito famílias ficaram desalojadas e, no Jardim Progresso, uma família de 12 pessoas tiveram de ficar dentro de um contêiner.

Ajuda interestadual – Já foi confirmado, para a próxima semana, o envio de donativos arrecadados pelas agências da ADRA de São Paulo e Rio Grande do Sul. Caminhões procedentes da capital paulistana e de Porto Alegre estarão se dirigindo a Santa Catarina. Parte ficará no Instituto Adventista de Ensino – SC (IAESC) e parte na própria sede da ADRA e da Associação Catarinense (em Barreiros – São José).


Florianópolis, SC… [ASN] A Igreja Adventista na América do Sul se mobiliza para ajudar os desabrigados em virtude das chuvas caídas em Santa Catarina nos últimos dias. Uma das principais regiões atingidas foi o Vale do Itajaí. Segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, mais de 52 mil pessoas estão desalojadas e desabrigadas, 65 morreram e o total de pessoas afetadas ultrapassa a casa de 1 milhão e meio. Oito municípios catarinenses estão isolados: Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoá e Benedito Novo. Mais de 60 municípios tiveram decretado estado de calamidade pública pelo governador Luiz Henrique da Silveira.

Itajaí – A situação das igrejas e escolas adventistas em várias regiões é complicada e as informações só chegaram nesta terça-feira, devido aos desmoronamentos, à quantidade de água e aos riscos de novos desabamentos. Um dos distritos pastorais mais afetados foi o de São Vicente, em Itajaí. Segundo o pastor Paulo Predebon, na Igreja da Cidade Nova, todas as famílias tiveram de sair de casa. Aproximadamente 300 membros estão desabrigados, o que significa pelo menos metade do número de membros de todo o distrito, formado por sete igrejas.

Blumenau – Em Blumenau, região fortemente castigada, não houve mortes, mas pelo menos cinco adventistas tiveram ferimentos em virtude da enxurrada e 20 pessoas estão desabrigadas. Os adventistas foram atingidos, principalmente, nos bairros Fortaleza, Garcia e Bela Vista.

A Igreja Central está interditada e foram canceladas as programações, pois houve um desmoronamento e impediu o acesso ao templo. A Igreja Adventista do Sétimo Dia tem um ponto de apoio em Blumenau, que é a residência da irmã Mariá, local para onde estão sendo encaminhadas doações. Os contatos com ela são através dos telefones (47) 3037-1814 e (47) 3037-1797.

Segundo o pastor Diógenes Mariano, do distrito de Garcia, em Blumenau, pelo menos dez pessoas estão desabrigadas e foram acomodadas em um colégio provisoriamente enquanto recebem alimentos e agasalhos. Essas pessoas tiveram perda de tudo o que estava em suas casas. Mariano solicita ajuda com roupas de cama e colchões. “Tudo o que foi arrecadado com o Mutirão de Natal já foi destinado às pessoas”, explica.

Outros locais – Em Itapema, três famílias adventistas estão em casas de parentes e duas famílias também passam por problemas em Tijucas. Ainda não há informações de quantos membros estão flagelados em São João Batista e Canelinha e nem de Gaspar Alto, local da igreja histórica fundada em 1895. Conforme o pastor distrital, Maurício Ticona, a cidade de Guabiruba está sem água potável ainda.

Em Jaraguá do Sul, aproximadamente duas famílias adventistas foram prejudicadas. Não há ainda desabrigados, mas com as cheias dos rios houve transbordamento dos rios e membros de Guamiranga, no interior de Guaramirim, permanecem isolados. A maior necessidade nessa região é de fraldas e leite para crianças.

SOS Vizinho – A União Sul-Brasileira da Igreja Adventista do Sétimo Dia lançou o programa SOS Vizinho que consiste em uma grande mobilização para auxiliar os flagelados catarinenses. Todas as instituições adventistas dos três estados (Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina), o que inclui emissoras de rádio, escolas adventistas, igrejas adventistas e sedes administrativas, tornaram-se pontos de arrecadação de alimentos, agasalhos e roupas de cama. Conforme o pastor Sidnei Mendes, diretor da ADRA para a região sul do Brasil, tudo o que for arrecadado nos outros três estados será destinado imediatamente a Santa Catarina.

Em Santa Catarina, o telefone 0800-643-3048 foi disponibilizado para os que desejarem fazer doações, bem como a conta no BESC (Agência 048, Conta Corrente – 047617-9) e o CNPJ é 76.726.884/0081-02 ou do Banco do Brasil (Agência 3425-8 e Conta Corrente 107264-1) em nome da Instituição Adventista Sul-Brasileira de Educação e Assistência Social. Além disso, a Associação Catarinense da Igreja Adventista já está enviando recursos próprios e da ADRA Internacional para comprar mantimentos. O jornalista Felipe Lemos e o pastor Evandro Fávero, diretor da ADRA catarinense, foram até a região de Itajaí para acompanhar de perto a situação na região.

As providências imediatas da Associação Catarinense foram as seguintes: locação de um caminhão baú para recolher as doações e enviar às regiões afetadas, destinação dos donativos do Mutirão de Natal para essa causa, aquisição de 10 mil fraldas, cinco mil litros de água, dois mil litros de água, mobilização de voluntários e funcionários administrativos da Igreja Adventista como equipe de apoio. [Equipe ASN –  Felipe Lemos]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: