Seria errado ter fé?

Fé em Jesus - União Adventista

Você conhece aquela história do homem que queria dominar uma aeronave sem ser piloto? Ele comprou um manual que supostamente o ensinaria tudo e decidiu ser um autodidata no assunto. O que ele queria, na realidade, era um caminho mais curto.

Pois bem, ele sentou-se dentro da cabine do avião, colocou o manual de pilotagem no colo, abriu na primeira página e foi seguindo as instruções, passo a passo. Funcionou os motores, fez os preparativos necessários, tomou velocidade na pista e levantou vôo.

“Que fantástico!” Ele começou a imaginar: “Que ignorância daquelas pessoas que passam um tempão com estudos e burocracia, para depois chegarem onde estou. Pilotar é tão fácil e, acima de tudo, tão bom!”

Seguindo avante nas páginas do manual, fazendo todas as manobras aéreas que aquele guia ensinava, o novo “piloto”, viajando sobre as nuvens, chegou na última página que trazia em letras bem grandes somente a seguinte instrução: “PARA APRENDER TUDO SOBRE ATERRISAGEM, ADQUIRA O VOLUME DOIS DESTA COLEÇÃO”.

Você é um estudioso? Creio que sim. Mas, neste estudo, quero fazer-lhe um desafio: você acredita no que lê?

Ser alguém estudioso… Sem levar em conta a formação, a religião, a cor, o sexo, a idade ou a origem, o ser humano é assim: todos são igualmente curiosos. Todos procuram explorar algum tipo de “campo até então desconhecido”.

Cada pessoa tem seus modos diferentes de fazer suas “pesquisas”. No nosso caso (adventistas), pesquisamos através do estudo. Por isso produzimos artigos como este que você está lendo. Juntos crescemos no conhecimento que vem da parte dAquele que tudo sabe.

É verdade que, além de curiosos, muitas vezes somos céticos. Duvidamos e então pesquisamos. Ou então, depois de pesquisar, duvidamos.

Sabe, as palavras têm um poder incrível. Penetram vidas que duvidam e mentes confusas. Rompem e atravessam diferenças de todos os tipos. Estou falando do poder da Palavra de Deus, sob a qual, somos todos de uma mesma família. Portanto, ler os bons materiais que este site apresenta é entrar para uma realidade de esperança e verdade que Deus oferece a você.

Acredito que talvez você tenha uma infinidade de razões para estar insensível quanto ao que está lendo. Mas, não tenho dúvida de uma coisa: o estudo da Palavra de Deus proporciona a chance de avaliar uma dimensão maior, sem medida e transcendente, do amor de Cristo.

Peça a Deus que lhe dê sabedoria para entender o que é correto, e então, que você viaje através da leitura dos textos, versículos, capítulos e livros da Bíblia sugeridos nos bons textos que lê.

Em uma experiência inédita, você vai ficar muito feliz, porque são “bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo (Ap 1:3)”.

Esteja você agora com FÉ ou sem FÉ, convido-lhe a descobrir o que está escrito na Bíblia sobre a FÉ.

O Que é FÉ

Numa definição mais teórica, o apóstolo Paulo escreveu que “FÉ é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver” (Hebreus 11:1 BLH).

Um grande exemplo de viver a prática desta FÉ pode ser visto na experiência de Jó. Quando ele se encontrava num sofrimento de desgraças extremas ainda pôde dizer: “Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a terra. Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus. Vê-lo-ei por mim mesmo, os meus olhos o verão, e não outros; de saudade me desfalece o coração dentro de mim” (Jó 19:25-27 RA).

Imagino que talvez você deva estar se perguntando: “mas para que ter FÉ?”, “por que preciso ter FÉ?”

Para Que Serve a FÉ

Para se aproximar de Deus é preciso ter FÉ porque “de fato, sem FÉ é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6 RA). É através desta aproximação que nos tornamos “filhos de Deus”, e isto acontece “mediante a FÉ em Cristo Jesus” (Gálatas 3:26 RA).

Quando pedimos algo para Deus, uma das condições básicas para recebermos as Suas bênçãos é ter FÉ (Tiago 1:6).

A FÉ capacita-lhe a defender-se dos piores males; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno (Efésios 6:16 RA).

“Nos dias do Novo Testamento os dardos frequentemente eram feitos com estopa embebida em substância combustível e então acesos, de modo que os escudos de madeira necessitavam de uma cobertura de couro a fim de extinguir o fogo rapidamente. Paulo sabia que ‘as ciladas do diabo’ incluíam esses dardos inflamados, a saber, as línguas dos homens que agem como flechas, as setas de impureza, egoísmo, dúvida, medo, desapontamento, que são planejadas pelo inimigo com o intuito de queimar e destruir. O apóstolo sabia que somente a dependência de FÉ em Deus podia debelar e anular o efeito de tais armas, sempre que fossem atiradas no cristão” (Francis Foulkes, EFÉsios – Introdução e Comentário – São Paulo: Editora Mundo Cristão, 1963, pág. 145).

Amigo, a vitória sobre tentações, dúvidas, sensualidades, desesperos, provações, rebeliões, culpas, etc, através da FÉ, pode ser tão grande, a ponto de levar a vencer o mundo inteiro! Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé (1 João 5:4 RA).

Mas… a maior finalidade da FÉ é a salvação da nossa alma (1 Pedro 1:9). “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16 RA).

Por Que Ter FÉ

Podemos dividir a razão da nossa necessidade de adquirir FÉ em cinco partes básicas:

1) Porque é uma necessidade humana básica. Nós é que precisamos ter FÉ. Mas Jesus, ouvindo, disse: Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes. (Mateus 9:12 RA).

2) Porque tudo que não provém de FÉ é pecado (Romanos 14:23 RA).

3) Porque todos pecaram e carecem da glória de Deus (Romanos 3:23 RA).

4) Porque precisamos ser salvos do pecado. (Leia: Romanos 7:24 e 25; e Efésios 2 :1-5)

5) Porque é o único meio para alcançar a graça da salvação. Justificados, pois, mediante a FÉ, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; (Romanos 5:1 RA) Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da FÉ. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus. A salvação não é o resultado dos esforços de vocês; portanto, ninguém pode se orgulhar de tê-la. (Efésios 2:8 e 9 BLH).

Esta é a maior necessidade do ser humano: ser salvo em Jesus e alcançar a vida eterna. Acreditar nisto, é um ato de FÉ. A FÉ é a confiança em Deus, ou seja, a crença de que Ele nos ama e conhece perfeitamente o que é para o nosso bem.

Como Conseguir FÉ

Você quer ter FÉ?

Imagine alguém que está muito doente e precisa urgentemente de uma receita médica. Esta receita está ao seu alcance, pois o médico encontra-se muito acessível.

Este “enfermo” somos eu e você, e o médico é Jesus (Leia novamente Mateus 9:12).

Segundo o que está escrito na Bíblia, o principal meio de adquirirmos FÉ é aprendendo a Palavra de Deus. “Portanto, a FÉ vem por ouvir a mensagem, e a mensagem vem por meio da pregação a respeito de Cristo” (Romanos 10:17 BLH).

Quer ter muita FÉ? O tamanho da sua FÉ é proporcional, também, ao quanto você estuda a Bíblia. Percebe? Que vantagem em estar fazendo este estudo!

A Bíblia também ensina que, quando procuramos fazer a vontade de Deus, a nossa FÉ aumenta. “Veja como a sua FÉ e as suas ações agiram juntas. Por meio das suas ações, a sua FÉ se tornou completa” (Tiago 2:22).

Conclusão

Certa vez, um malabarista chamava a atenção de um grande público, por conseguir atravessar uma incrível distância, sobre uma altura mortal, caminhando por cima de uma corda.

Para aumentar o entusiasmo de sua platéia, aquele artista fez um desafio. Ele perguntava se havia alguém ali que acreditava que ele poderia atravessar novamente, mas desta vez, empurrando um carrinho de mão. “Fiéis” e empolgados, todos eles gritavam:

“Nós acreditamos!” “Vai que você consegue!”

Valorizando a confiança nele depositada, o profissional encarou o desafio e venceu.

Foi então que ele perguntou se alguém acreditava que ele poderia atravessar, carregando, no carrinho, uma pessoa. Perto do malabarista, uma senhora, fez alarde de sua FÉ, gritando:

“Não tenho dúvida nenhuma! Você consegue! Vá em frente!”

O artista, olhando para ela, falou:

“Se a senhora crê que consigo, seja você a pessoa que irá comigo. Entre no carrinho!”

Amigo, provavelmente você conclua, para si mesmo, ser alguém que acredita que, pela FÉ, podemos ser salvos em Jesus. Ele desafia-lhe a crer, para receber esta salvação. E ensina que para crer, é preciso dar ouvidos à Sua Palavra. É aprendendo sobre a Bíblia que você “entra no carrinho”.

Estude a Bíblia! Você pode começar lendo os capítulos 11 e 12 do livro de Hebreus. Vai entrar para a lista destes heróis da fé, como alguém de quem o mundo “não é digno” (Hebreus 11:38).

Aceite a FÉ, dom gratuito oferecido por Deus, continuando a estudar Sua Palavra. No meu próximo artigo tentarei dar-lhe a oportunidade de descobrir o que está escrito sobre como Cristo oferece esta salvação. Vai estudar sobre a GRAÇA.

Um abraço,

Pr. Valdeci Jr.

Anúncios

Impacto Esperança – IASD Cidade Dutra

Olá Pessoal!

Esse dia foi marcante para todas as igrejas que participaram do projeto IMPACTO ESPERANÇA. Realmente o espírito santo tem trabalhado bastante na obra de Deus, ajudando a todos nós.

Que este seja o primeiro de muitos impactos de Esperança para este mundo!

Veja a seguir as primeiras fotos.

Clique aqui ou na imagem para ver o álbum completo.

Esperança para a paz social

A introdução deste texto está nos jornais de hoje, estava também no noticiário de ontem ou de quando você quiser. Facilmente você vai se lembrar de fatos recentes ou mais antigos, alguns ocorridos perto, outros longe de você. A comunicação hoje é tão fácil e envolvente que não permite a ninguém ficar alheio aos acontecimentos, principalmente os chocantes.
No fundo, temos de concordar com Konrad Lorenz, que classificou como “processo apocalíptico” o desaparecimento das qualidades e faculdades mais nobres do ser humano. Todos nós somos reféns do medo, rodeados pelos vícios, assistindo a todo tipo de degradação e destruição.

A humanidade está em perigo. A idéia de conseguir tudo o mais depressa possível (seja em nível individual ou entre os povos) está reduzindo as relações humanas a uma condição de selvageria.

Após o assassinato do menino João Hélio, de 6 anos, no Rio de Janeiro (ele morreu arrastado pelas ruas da cidade, preso a um cinto de segurança, depois que assaltantes tomaram o carro da família), o especialista em ética Peter Singer, da Universidade de Princeton, Estados Unidos, declarou: “Quando pessoas supostamente normais cometem barbáries como essa, é sinal de que a sociedade perdeu o controle de si mesma e as pessoas não têm mais a noção de certo e errado.”

Se focássemos apenas os problemas, teríamos razões de sobra para concluir que não há solução para a humanidade. Entretanto, a boa notícia é que há esperança para a sociedade doente. A solução vem de fora de nós mesmos. As providências foram tomadas por Deus. O plano está exposto na Bíblia. E é a razão para a nossa esperança.
Esse é o principal objetivo da Palavra de Deus, conforme está escrito em Romanos 15:4: “Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança.” Nesse mesmo capítulo, o apóstolo Paulo reafirmou: “Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nEle, para que vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo” (Romanos 15:13).
Esse mesmo apóstolo sintetizou de maneira clara a estratégia para a nossa redenção: “Assim, permancecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor” (1 Coríntios 13:13).

Como você percebeu no verso acima, o ponto de partida é a , ou seja, depender de Deus e aceitar um plano de salvação incompreensível, mas absolutamente real e eficaz. O objetivo é o amor a Deus e entre as pessoas. E a ponte entre a fé e o amor é a esperança. Mas a Bíblia afirma que, acima de toda e qualquer esperança em relação ao futuro deste mundo, está a “bendita esperança” (Tito 2:13), que é a segunda vinda de Jesus. Ele mesmo prometeu: ”Voltarei” (João 14:3).

Márcio Dias Guarda

Sugestões
1. Alimente a chama da esperança. Uma forma interessante de fazer isso é através do estudo da Bíblia. Ali, como em nenhuma outra fonte, a história da humanidade não só está sintetizada, mas adequadamente suprida com as providências já tomadas por Deus e também com informações claras e confiáveis a respeito da solução divina, final e definitiva, para os problemas humanos.
2. Participe. Como você tem informações privilegiadas a respeito do futuro, dos planos de Deus, promova e participe de ações para melhorar as condições sociais de sua comunidade e ajudar a prepará-la para o futuro.
3. Não se desespere. Você não está sozinho nessa missão. O mais importante já foi realizado. Deus, os anjos do bem e milhões de pessoas estão empenhados em tarefas que convergem para o mesmo objetivo. E logo, muito em breve, nossa esperança se concretizará.

Esperança para o planeta

Nos últimos anos, o mundo inteiro passou a falar sobre ambiente e “ecologia”, palavra criada em 1869 pelo cientista alemão Ernst Haeckel. Hoje, o tema está em capas de revistas, notícias da TV, eventos artísticos, livros, filmes, documentários…
Porém, o interesse pelo assunto não tem a ver apenas com um novo nível de conscientização. A questão é que o planeta começou a apresentar inúmeros problemas, em resposta às agressões que vem recebendo. Se alguns achavam que a mídia estava fazendo sensacionalismo, fenômenos como o aquecimento global não deixam dúvida de que algo sério está acontecendo.

Sem apelar para o discurso do caos, devemos prestar atenção aos sinais de alerta de que nem tudo está bem. Entre esses sinais estão o efeito estufa, o aquecimento global, a chuva ácida, o derretimento das geleiras, a crise de água, a revolta da natureza, a destruição da biodiversidade, o consumo desequilibrado, a contaminação do ar e o aumento da desertificação.

Diante da situação, o que você tem feito? Há um avanço em termos de documentos e ação global, já que problemas globais exigem soluções globais. Os países e as empresas estão se tornando cada vez mais ambientalmente responsáveis. Porém, cada um pode dar sua contribuição. O fato de você não poder fazer tudo não significa que não deva fazer nada.

Como bons cidadãos, devemos preservar o planeta para as novas gerações. E, como cristãos, somos chamados a promover o princípio do cosmos e não do caos, da proteção e não da destruição, do cuidado e não do estrago. Afinal, quem destrói a criação está na contramão da ação divina. Por isso, como diz João em Apocalipse 11:18, está chegando o tempo de Deus destruir “os que destroem a terra”. Se você quiser continuar vivendo no planeta do futuro, tem de aprender a preservá-lo desde agora.
A boa notícia é que, além de nossas iniciativas “verdes”, podemos contar com uma ajuda essencial. Num livro recente, os ambientalistas americanos Ted Nordhaus e Michael Shellenberger sugerem que a salvação do planeta está na tecnologia. Em parte, eles têm razão. Mas a grande esperança vem de outra fonte.

A Bíblia apresenta o sonho de um novo mundo com ar puro, água vivificante e inesgotável, natureza exuberante, ambiente perfeito. A Terra será recriada. Contudo, quem vai fazer isso é Deus, e não o ser humano. Deus é a verdadeira esperança para a crise do planeta.

No Gênesis, o primeiro livro da Bíblia, vemos o conceito de um jardim preparado para oferecer uma qualidade de vida excepcional. Todo o ambiente conspirava para o bem-estar. Com suas capacidades sensoriais, Adão e Eva deveriam apreciar as delícias do paraíso e viver para sempre. As coisas deram errado, como sabemos. Mas no Apocalipse, o último livro da Bíblia, vemos novamente a promessa de um ambiente perfeito, com acesso livre à fonte da vida.

Há várias maneiras de ler o Apocalipse. Uma delas é através da visão ecológica. No livro, dois sistemas são apresentados através do simbolismo de duas cidades: Babilônia (Roma) e a Nova Jerusalém. Uma cidade é exploradora, opressiva e injusta; a outra é pacífica, libertadora e justa.

Em Apocalipse 21 e 22, a Nova Jerusalém é retratada como uma capital gloriosa, onde as categorias originadas pelo pecado jamais entrarão. Não há exploração humana nem danificação do ecossistema. A paisagem urbana, enriquecida por uma arquitetura esplêndida, é embelezada por uma natureza exuberante, incluindo a árvore e o rio da vida. O essencial para a vida é oferecido de graça. A cidade eterna promove reconciliação, justiça e cura.
Esse mundo incrível é para você, que faz parte do sonho de Deus.

Marcos De Benedicto

Esperança para vencer os traumas emocionais

Aqueles foram os 102 minutos mais tenebrosos da história dos Estados Unidos. Desde o impacto do primeiro avião com a torre norte do World Trade Center (WTC), no dia 11 de setembro de 2001, até o desabamento da segunda torre, foram eternos 102 minutos em que o mundo parecia ter perdido a respiração.

“Um avião bateu contra o WTC, há fogo, muita fumaça, mas não se assuste”, disse Tony Rocha à sua mulher, Marylin Marques, antes de o telefone ficar mudo. Em 1994, já com o curso de administração de empresas concluído, Tony se casou com Marylin. Além de bom marido e pai, ele se tornou respeitado corretor em Wall Street. Trabalhava na Cantor Fitzgerald Securities, cujos escritórios ficavam na torre norte do WTC. A Cantor perdeu 700 dos seus mil funcionários, entre os quais Tony, que deixou, além da esposa, dois filhos pequenos.

Quando viajamos de ônibus, metrô ou avião, nos deparamos com muitas pessoas. Algumas seguem imersas em livros ou jornais, outras olham pela janela do veículo indiferentes ao passageiro ao lado. Olhares perdidos de vidas que vêm e vão. Quantos traumas emocionais: tristezas, desilusões, sonhos frustrados, tragédias, saudades! Quem de nós não tem algum desses itens na bagagem? Quantas Marylins se arrastam pela vida sem seus Tonys?

Mas a verdade é que a maior parte da vida geralmente não é feita de desastres ou alegrias incomuns. Ao contrário, vivemos quase sempre uma rotina de eventos comuns. É nesses momentos que devemos nos preparar para enfrentar os traumas e as tragédias. Mas como? Primeiramente, é bom saber que Deus deseja libertar você de um passado de experiências dolorosas, curando seus traumas e restaurando-lhe o equilíbrio emocional. Assim, você pode olhar o futuro com esperança, mesmo sabendo que haverá experiências difíceis. O relacionamento constante com Deus em “tempos de bonança” é que nos fortalece para as tempestades.

Além disso, é bom lembrar que, conforme disse Fernando Sabino, conhecido escritor brasileiro, “no fim tudo dá certo; se ainda não deu é porque ainda não chegou o fim”. É isso mesmo. A Bíblia garante que este mundo terá um fim feliz para os que acreditam nisso – o fim das tragédias, o fim da dor, o fim da morte. Jesus prometeu em mais de 2.500 passagens bíblicas que Seu retorno é certo e que esse acontecimento será a solução para todos os problemas humanos. E o Mestre nunca mentiu.

É como se pudéssemos ouvir o Senhor dizendo: Há fogo, muita fumaça, mas não se assuste. “Venham a Mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e Eu lhes darei descanso” (Mateus 11:28). “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas [inclusive a paz] lhes serão acrescentadas. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações” (Mateus 6:33, 34). “Lancem sobre [Mim] toda a sua ansiedade, porque [Eu tenho] cuidado de vocês” (1 Pedro 5:7). “Nao se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em Mim. Na casa de Meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, Eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar. E se Eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para Mim, para que vocês estejam onde Eu estiver” (João 14:1-3).
Nunca se esqueça de que acima das nuvens de tragédias e tristezas que muitas vezes envolvem nossa vida, está o sol da esperança. E esse sol tem nome: Jesus.

Michelson Borges

Esperança para eliminar a corrupção

Ela está presente, mesmo que nem sempre a notemos. Os que a praticam fazem tudo o que é possível para ocultá-la; porém, mais cedo ou mais tarde, seus efeitos aparecem.

Infelizmente, ela faz parte da sociedade em que vivemos. Com muita freqüência, os meios de comunicação divulgam escândalos que estouram em esferas governamentais ou empresariais, manchando a imagem de dirigentes e instituições. Às vezes, constatamos por experiência própria a dolorosa realidade da corrupção.

Segundo o Barômetro Global da Corrupção 2007, elaborado pela Transparência Internacional, as perspectivas não são animadoras. Essa pesquisa de opinião pública, que ouviu sessenta mil pessoas em sessenta países, revela o aumento desse flagelo em praticamente todos os continentes. Aproximadamente uma em cada dez pessoas no mundo pagou um suborno no ano passado.

De acordo com a pesquisa, a metade dos entrevistados – número significativamente superior ao de quatro anos atrás – prevê que a corrupção, em seu país, aumentará em pouco tempo. Além disso, a mesma porcentagem dos entrevistados acha que os esforços de seus governos na luta contra a corrupção são ineficazes.

A corrupção tem efeitos destrutivos. Abala as instituições, corrói a ética, desvirtua a justiça, impede o desenvolvimento econômico/social sustentável e enfraquece a vigência da lei.

Existe esperança diante dessa onda de corrupção? Em última instância, a corrupção tem origem no egoísmo do coração humano. Para eliminá-la, é necessária a transformação do indivíduo, o que só Deus pode fazer. Só Cristo pode perdoar o mal que praticamos no passado, encher-nos de Seu amor abnegado e ajudar-nos a viver para servir aos nossos semelhantes. Tudo o que Ele pede é que nos arrependamos de nossos pecados, confessando-os humildemente diante dEle, entregando nossa vida para obedecer-Lhe daqui para a frente.

Deus pode nos conceder forças para sermos íntegros em todas as circunstâncias, mesmo que a maioria das pessoas faça o contrário. Seu poder transformador está à disposição de todos, a fim de substituir nosso egoísmo e nossa ambição por Seu amor solidário.

Infelizmente, nem todos aceitam esse poder, porque nem todos desejam mudar. Deus respeita a liberdade do ser humano e não obriga ninguém a viver honestamente. Chegará, porém, o tempo em que, finalmente, a justiça será feita, porque “Deus é um juiz justo” (Salmo 7:11). Cristo prometeu que retornará à Terra em glória e majestade, “e então recompensará a cada um de acordo com o que tenha feito” (Mateus 16:27).

A segunda vinda de Jesus porá fim definitivo à corrupção, porque destruirá os que preferem viver com egoísmo e, por isso, recusam a oferta divina de perdão e transformação. Ao mesmo tempo, o Senhor reunirá todos os que aceitarem Sua salvação e os levará ao Reino eterno de Deus, onde habita a justiça.
O aumento da corrupção nos mostra a proximidade da segunda vinda de Cristo. O apóstolo Paulo advertiu que, “nos últimos dias, sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos” (2 Timóteo 3:1, 2).

Você não precisa desanimar, mesmo que a impunidade reine momentaneamente. Fique firme ao lado do que é correto e aguarde pacientemente a vinda do Senhor. Cristo logo voltará!

Carlos A. Steger

A maior esperança

A virgem Maria soube por intermédio de um anjo que seria a mãe do Messias e se preparou espiritualmente para Sua chegada. Entoando uma suave canção, ela expressou seu sentimento de alegria pela bendita esperança: “Minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador” (Lucas 1:46, 47).

Ela esperava que Jesus, na qualidade de libertador pessoal, trouxesse felicidade a todos que prestassem atenção às Suas palavras (João 2:5). Maria sabia que o Salvador aliviaria o sofrimento, curaria enfermos, animaria pessoas tristes e restituiria a vida. Ele próprio declarou o objetivo de Sua missão: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente” (João 10:10).

“Pois Deus enviou o Seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dEle” (João 3:17). Portanto, o Filho de Deus não veio com o propósito de julgar, apontar falhas, nem condenar e lançar pecadores num lago de fogo e tormento. Ele veio para salvar o mundo.

A morte de Cristo na cruz deu a você a oportunidade de ser feliz, pois abre seus olhos para a perspectiva de um futuro melhor. Você pode sair do casulo das suas limitações genéticas e adquiridas e conseguir realizar os sonhos mais sublimes do coração.

Enquanto esteve por aqui, com carisma Jesus atraiu muita gente. Multidões queriam estar junto do Salvador para obter vida. Embora Cristo tenha alimentado, curado e ressuscitado seres humanos, com o passar do tempo a fome, a doença e a morte voltaram para aquelas pessoas. A vida na Terra continua sob o efeito do pecado; por isso, Ele prometeu nos tirar daqui:
“E se Eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para Mim, para que vocês estejam onde Eu estiver” (João 14:3). Esteja certo de que Ele não vai demorar: “Pois em breve, muito em breve, Aquele que vem virá, e não demorará” (Hebreus 10:37). E ainda mais: “Eis que Ele vem com as nuvens, e todo olho O verá (Apocalipse 1:7).
Habitar com Deus é a garantia que se pode ter para desfrutar a vida sem as conseqüências danosas do pecado. Essa promessa contém a maior esperança da humanidade: “Deus habitará com eles. … E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Apocalipse 21:3, 4).

A Bíblia diz para você encarar o assunto com determinação: “Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens. Ela nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente, enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo. Ele Se entregou por nós a fim de nos remir de toda a maldade e purificar para Si mesmo um povo particularmente Seu, dedicado à prática de boas obras” (Tito 2:11-14).
Assim como Maria celebrou com alegria e fez preparativos espirituais para a primeira vinda de Cristo, chegou a hora de você seguir o exemplo dela em relação ao retorno do Salvador do mundo. Vale a pena acreditar na concretização da maior esperança e dizer com otimismo: “Vem, Senhor Jesus!” (Apocalipse 22:21).
Só existe uma condição para que você concretize essa esperança: aceitar a Jesus como seu Salvador pessoal. Ele está ansioso para transformar sua vida e tirar você deste mundo cheio de violência, corrupção e insegurança.

Portanto, prepare-se para a mais sensacional viagem espacial de todos os tempos, porque Jesus logo virá a este planeta escuro para conduzir você aos “novos céus e nova terra, onde habita a justiça” (2 Pedro 3:13).

Paulo Roberto Pinheiro