As Tormentas da Vida

“De repente levantou-se uma terrível tempestade com ondas mais altas do que o barco […] Então, Ele Se levantou, repreendeu o vento e as ondas, a tempestade passou e tudo ficou calmo.” Mateus 8:24, 26, BV

Jesus e Seus discípulos entraram no barco e, antes que chegasse à outra margem, levantou-se uma grande tempestade. Os discípulos não podiam entender que, enquanto eles estavam lutando contra a tormenta para impedir que a embarcação naufragasse, Jesus dormia.

Que quadro sublime do Filho de Deus! Depois de um dia de trabalho, ajudando pessoas, Ele dormia… E dormia porque estava cansado. Estava tão exausto que nem mesmo o barulho da tempestade e as sacudidas do barco O despertaram.

Os discípulos temeram e clamaram pelo Mestre: “Salva-nos, vamos todos morrer!” Jesus acordou, olhou para eles e, sem Se preocupar com a tormenta, os acalmou, dizendo: “Por que sois tímidos, homens de pequena fé?” Em outras palavras, Jesus quis dizer: “Por que temer se o Eu Sou a Vida está aqui com vocês no barco?”

Se as tempestades da vida e as ondas ameaçarem nos tragar, não tenhamos medo, ainda que Ele pareça dormir, porque “não tosquenejará nem dormirá o Guarda de Israel” (Sl 121:4, ARC). Os ventos e as ondas das provações obedecem a Sua voz.

Porventura, já surgiu em sua mente o pensamento de que Ele não Se importa conosco e que vamos perecer? Não duvidemos. Não percamos a fé! Os discípulos tiveram “pequena fé”, e nós? Nem sempre Deus interfere para impedir os acidentes que surgem durante nossa peregrinação rumo ao Céu, mas Ele está no controle e não nos deixa sozinhos. Ele está presente em meio às nossas lutas e sofrimentos. Deus não Se omite.

“Ele está presente para consolar os que choram, para animar os desanimados, fortalecer os fracos e para dar esperança aos desalentados. Em meio à dor, pela fé, podemos segurar Sua mão, deixar que Sua luz penetre a escuridão que nos envolve, e que Suas promessas tragam alento ao nosso coração”, são palavras do pastor Mark Finley.

Quando nos sentirmos frágeis, debilitados, impotentes, incapazes de continuar navegando “sobre as ondas desta vida”, Ele, em meio às nossas ansiedades, nos dirá: “Eu não Me esqueci de Ti”. Tenha fé em Deus!

REFLEXÃO: “Tens tu fé?” (Rm 14:22, ARC).

Anúncios

Oração Secreta


“Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto.”
Mateus 6:6

Quando você entra num quarto para orar em secreto, ninguém deve ouvir seu clamor, sua confissão, louvor, ou mesmo palavras de gratidão – só Deus. Você está em audiência com o Rei. Nesse momento, seu aposento se transforma no seu “Santo dos santos,” onde Deus Se revela a você.

Então, em meio ao silêncio e “sozinho abra seu coração aos olhos de Deus. A oração secreta só deve ser ouvida por Ele – o Deus que ouve as orações. Nenhum ouvido curioso deve partilhar dessas petições em que alguém entrega a Deus suas dificuldades. Na oração secreta a pessoa está livre das influências do ambiente, livre de excitamento. Calmamente, mas com fervor, pode buscar a Deus” (Caminho a Cristo, p. 98).

A pessoa que se concentra em Deus neste seu “deserto”, longe de toda e qualquer distração, é como abrisse um poço em meio à terra seca, de onde tira água em abundância para saciar a sua sede de Deus.

Esse modo de orar pode ser exemplificado pela ordem dada por Deus a Moisés, para que subisse o Monte Sinai aonde não podia levar, nem sequer, o seu amigo íntimo – Josué. Era um encontro secreto entre Moisés e Deus. Mas quando retornou da presença de Deus para o arraial de Israel, seu rosto estava brilhando, tão impregnado estava pelo encontro que tivera com o Rei. Isto é o que acontece com quem ora assim. Há uma transformação, de modo que a imagem de Cristo passa a ser refletida nele. Ele sai de sua câmara secreta habilitado para transformar seu ambiente, sua família, sua igreja e seus amigos, levando-os para mais perto de Deus.

Grandes batalhas têm sido travadas dentro de um quarto de portas fechadas: batalhas contra o eu, contra pecados secretos, contra nossa natureza má e indomável, e contra outros pecados.

Quantas lágrimas são derramadas ali, a sós com Deus! Mas, também, quantas vitórias são alcançadas, quanta bênção e quanto perdão recebidos. Faça essa experiência e você experimentará a alegria de viver.
Essa maneira de orar nos propicia excelentes condições para ouvirmos o que Deus tem a nos dizer. Ele tem coisas a esclarecer-nos. Esperemos que Ele nos fale ao coração.

REFLEXÃO: “Eis que te comprazes na verdade no íntimo, e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria” (Sl 51:6).

Especialista em corações

Em Sydney, Austrália, um especialista em consertos de qualquer objeto elaborou um interessante cartaz publicitário para atrair clientes. O cartaz dizia o seguinte: “Conserta-se tudo… exceto corações despedaçados”.

 Entretanto, a exceção desses “faz-tudo” é justamente a especialidade do nosso Senhor Jesus Cristo. Ele é especialista em restaurar vidas despedaçadas.

 Também é “Conselheiro”. Ele ouve com simpatia quando Lhe apresentamos nossas ansiedades. Gentilmente, nos guia pelas encruzilhadas da vida. Dá-nos sabedoria para tomar decisões. Preocupa-se em suprir nossas necessidades. Inclina Seu ouvido para ouvir nossas inquietações. Ele nunca Se encontra tão ocupado que não possa  nos ouvir.

 Ele é o “Deus Forte”. Nunca perdeu uma batalha; enfrentou Satanás e já o derrotou. Os demônios fogem à Sua presença. Ele rompe as cadeias que nos aprisionam. Livra-nos da servidão dos hábitos que nos subjugam. Renova nossa mente e transforma nossas atitudes.

 Jesus também é o nosso “Pai da Eternidade”. Ele é eterno. Podemos depender DELE.   Podemos contar com Ele. Ele sempre está disponível, nunca nos desapontará. Por toda a eternidade, Ele é confiável. Ele é confiável. Ele é o amoroso Pai que muitos nunca tiveram.

 Ele é o “Príncipe da Paz”. Concede paz aos corações angustiados. Provê  calma às mentes em aflição. Organiza as vidas caóticas. Que maravilhoso especialista em coração! O Céu nos deu um Salvador maravilhoso, um Conselheiro compreensivo, um Deus Todo-poderoso, um Pai da Eternidade em quem podemos confiar, e um Príncipe da Paz que nos conforta.